Skip to content

Hoje é dia de Friends

22/09/2011

How you doing? Essa semana está repleta de dias especiais. Quero dizer, dois dias especiais, mas valem por ela inteira. A começar o dia de hoje. Hoje é dia de Friends! Oba! E para os leigos, sem cultura serialística, ou desligados, não trata-se do dia do amigo, até porque se não me falhe a memória, já passou. Trata-se de Friends com letra maiúscula e 10 temporadas.

Minha história com Friends teve várias fases. O seriado surgiu em 94, portanto, 2 anos pós meu nascimento. Já começa aí. Eu nasci, e tiveram 2 anos para pensar no que poderia me entreter futuramente. A primeira vez que assisti, eu deveria ter uns 7/8/9 anos, não lembro minha idade, mas lembro desse dia. Acredite. Esse primeiro contato visual e audível entre nós deveu-se graças a minha prima Isabela, e minha irmã. Mas esse dia me lembra algo engraçado e o quão malandrinha eu era quando criança. Estávamos na minha casa, na sala mais especificamente, provavelmente eram férias. Começamos a assistir Friends. Eu não conseguia ler a legenda muito rápido naquela época, por isso tenho quase certeza que mais de 10 anos é impossível, ou será que eu demorei tanto assim pra conseguir assistir à coisas legendadas? Não sei, mas depois que peguei o jeito, o máximo que posso aceitar quando assim não o for, é Johnny Depp em 3D. Vozes são ignoradas nesse caso. Enfim, eu fingia que conseguia ler. Eu fingia que estava sacando tudo. Fingia que o sarcasmo de Chandler Bing para mim, pirralha que era, era totalmente interpretado. E eu dava risada, como se entendesse tudo. Mas eu não compreendia coisa alguma. Toda vez que as risadas do seriado surgiam, eu ria como se fosse uma criança prodígio. Coitada. Até que no meio do seriado fui questionada pela minha prima: “Você entende tudo?”, inocente que era ou cagona que descobrisse minha farsa, fingi que ela se referia a ler as legendas rapidamente, e disse: “Sim!”, provavelmente inconformada, refez a pergunta: “Você entende as piadas… ?”, eu com cara de paisagem, respondi: “Sim!” . HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! No mesmo dia, para variar minha personalidade, deu-me um puta peso na consciência e fui contar pra minha mãe sobre minha mentirinha social. Ela me acalmou e disse que tudo bem, sem influências para prosseguir com meus fingimentos, é claro.

Meu contato pós tal dia, não me recordo tão bem. Mas logo chegaria na fase “assisto quando minha irmã comanda o controle”, ou seja… Logo passei a adorar. Chegou então a época em que eu e minha irmã assistimos as temporadas emprestadas pela minha Madrinha, incansavelmente. Depois, virei viciada assumida.  Ano passado, eu definitivamente me tornei fã nata. Ano de vestibular você restringe seus entretenimentos. Eu troquei o computador por 1h de Friends diária. Era destino. Eu fazia cursinho pela manhã, e chegava em casa exatamente no horário de seu início, pegava meu almoço, sentava no sofá e era Warner todo dia. Os melhores momentos de 2010 eram esse. Dois episódios, 1h de paz e risos, e logo eu ia para o quarto e ciclos celulares. Ou seja, eles me proporcionaram as alegrias daquele ano traumático e ao mesmo tempo belo.

Eu devo admitir que classifico as pessoas entre: Quem gosta de Friends X Quem não gosta de Friends. Sei que é um tanto quanto errado, mas eu tenho mania de tais classificações. Tipo, quem gosta de sertanejo… A avaliação fica por minha conta. Mas aprendi, não há muito tempo, que generalizações não devem existir, portanto, não sou tão radical assim, mas sinceramente não compreendo a vida alheia sem Friends. Mesmo que raramente, meu caso atual, aliás. Não tenho tempo para assisti-los diariamente, e inclusive muitas vezes os horários tornam nossos reencontros impossíveis, mas sempre que posso, é para eles que recorro. Seja de manhã quando não temos a segunda aula, seja 1h quando não hibernei, seja 18h quando… não sei o que faço esse horário, ou seja meia-noite, quando dormir é luxo. Se me questionarem como consigo assistir o mesmo seriado tantas vezes e dar risada como se fosse a primeira vez, sempre, a resposta é simples e clichê: “É muito bom!” .

No início desse ano, quando vim de mudança para a adorável Maringá, fui atraída por  uma loja, a qual deve ter por todo lugar, lá vende-se quadros com fotos de lugares, pessoas famosas, clássicos… Enfim, aquele tipo de coisa que você paga para colocar na sua parede. Eu não resisti. Fiquei em dúvida entre 4 quadros. Um de Marilyn, um de Audrey a lá Bonequinha de Luxo, um de Chaplin e um de Friends. Para a escolha utilizei o método de desclassificação à base racional. Chaplin foi o primeiro a cair fora, seu feedback é que já tenho um quadro seu, lindo e já compartilhado por aqui. O segundo foi de Marilyn. Foi uma época que tudo era Marilyn, Marilyn, Marilyn. No mesmo dia comprei um livro dela, já tinha uma maletinha de maquiagem com fotos suas… Enfim, vamos dar espaço para outros, vai? Depois, a dúvida tornou-se cruel. Pensei: “Eu amo o filme Bonequinha de Luxo, seria incrível ter um quadro de Audrey, ainda mais vestida no personagem, mas… Friends é o Clássico da minha época, eu vivi isso… Meus filhos, assim como minha mãe me fez amar encontrar o quadro do Chaplin no porão da vovó, iriam amar encontrar um quadro de um seriado da minha época… Mas não vai estar no porão, ok?” . Esse pensamento me fez levar os dois, e abaixo é a foto que estampa o quadro comprado.

Eu adoro essa foto, não somente por ser Friends, mas a foto em si, é linda. Para quem não sabe ela é uma espécie de paráfrase de uma já muito conhecida. Eu realmente tentei encontrar de todas as formas o nome do lugar, que inclusive tornou-se famosíssimo para bater fotos, e segundo o vendedor é cobrado para fazê-lo, porém não consegui de forma alguma achar, muito menos lembrar. Foi aí que minha mãe achou! Pois é… É o famoso Empire State Building. Enfim, a foto original mostra trabalhadores nova iorquinos, diga-se de passagem reais, sentados nesse mesmo lugar, aliás, na loja que comprei tinha um quadro com tal. Acho que me empolguei falando de Friends, mas merecia um post, afinal, hoje fazem 17 anos que deram o ar da graça pela primeira vez! Só para constar, desisti de colocar meus momentos favoritos à cá porque parece que todos os vídeos do seriado no youtube resolveram desativar a exibição em sites alheios. Blogs são incríveis, a gente muda o rumo de um post de repente, falar qualquer coisa que está escrita aqui, não eram meus planos iniciais, enfim…

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. 23/09/2011 11:25 PM

    Friends realmente é o seriado da vida, haha. Mesmo que todos os episódios sejam reprise, não me aguento e dou risada como se fosse a primeira vez que estou assistindo. Sei lá, pra mim é uma coisa meio atemporal. Ainda não há seriado que se equipare a Friends, fato. Ah, e eu adoro essa fotografia! Tanto a original quanto a releitura de Friends! Beijo!

  2. Isabela permalink
    23/09/2011 9:38 PM

    Eu sempre soube que tinha sido eu que te apresentei a eles!!!!!!!!!!!! :)

  3. evanddro permalink
    23/09/2011 11:36 AM

    Parabéns pela tua crônica sobre Friends. Vi teu link no Twitter.Uma dica: no site oficial do seriado tem um lugar onde todos os fãs do mundo deixam depoimentos. É bem legal. Um abraço.

    • 23/09/2011 12:29 PM

      É mesmo? Não sabia disso, vou ver isso agora.
      Muito obrigada pela dica e pelos parabéns.
      Volte sempre, abraço!

  4. 22/09/2011 11:38 PM

    Meu, 17 anos.

    Fico feliz, pois em todos os momentos , desta historinha,
    eu estava presente. oh que emoçao.
    Ri o texto inteiro.
    bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: