Skip to content

Buenos Aires sobre duas rodas

06/03/2012

Já dei meu testemunho à cá sobre carnavais passados e sem sucesso. Eis aqui o primeiro que me abstive das comemorações brasilerídicas e foi-me investido outra maneira de aproveitar esse nosso 1º de janeiro fantasiado de carnaval. Viajando!

BA sobre duas rodas – Casa Rosada

Foi uma viagem totalmente sem precedentes, de última hora e inesquecível. Qual guardarei para sempre como minha primeira viagem. Aquela para o exterior, mesmo não tão distante, com um mochilão nas costas, um mapa na mão, pique, companhia com conhecimento de causa e um hostel. A primeira de muitas, garanto!

Tudo começou encantadoramente devido à poltrona da frente. Aquele inglês britânico já me fez respirar um outro ar, que chegou a inspirar como uma nostalgia de algo nunca vivido. O primeiro contado direto com aquilo que vemos em filmes te deixa com cara de besta e achando tudo o máximo. E é delicioso! Minha irmã bem sabia como seriam minhas reações, e acertou. De repente, estou em Buenos Aires. Aqui do lado, e para mim mais ainda. Afinal, morar 18 anos no oeste do Paraná não traz justificativas plausíveis para desconhecer a América Latina. Tão perto, tão fácil… Mochilão nas costas, 8h da matina e metrô. Ok, pode soar bobo, mas foi incrível. Tenho sonhos  por influência Hollywoodiana. Além daquele do armário no colégio e muitos outros, o andar de metrô era um dos, e foi emocionante, ta?

A primeira dica começa agora, do Hostel que nos hospedamos: Milhouse. Está mais do que indicado. O lugar é adorável. Sempre tem um rock acolhedor tocando na recepção, vulgo bar, vulgo lugar para festas, vulgo acesso à internet, vulgo café da manhã, vulgo cabine telefônica à lá London, vulgo encontre-se com gente do mundo todo. Quando citei festas, imaginou certo. Toda noite rola uma festa no Hostel, do qual têm dois, um de cada lado da Nueve de Júlio – segunda maior avenida do mundo, porque sim, a maior está em Brasília, e não, não foi no Brasil que eu descobri isso, foi em Buenos Aires. Existem discórdias. Ficamos em um quarto para 6 meninas, das quais 3 eram de Israel. No elevador um Australiano, e por aí vai… Na hora do café da manhã eu praticava o jogo da adivinhação, e é incrível como eu conseguia só no olhar distinguir quem era brasileiro.

Casa Rosada

Foi minha primeira lição de como ser uma viajante desbravando um lugar desconhecido, ou, sem exageros, uma mochileira. Sem perda de tempo! Todo minuto é precioso para se conhecer cada canto daquele outro mundo. Portando, logo descobrimos que estava rolando um Free Tour. Mapa na mão e lá fomos nós… O Tour seguiu-se em inglês, e me fez ficar feliz ao compreender 90% do dito, inclusive sobre a pouca apreciação pela tal da Kirchner. Fizemos o caminho das passeatas e protestos, totalmente racional. Do Congresso Nacional à Casa Rosada, onde recebe a honra da visita da presidenta o grande número de uma vez ao ano. Só nesse Tour já me dei conta de que a política por lá é tão ruim, senão pior, que a do Brasil. Ao menos por lá existem protestos, mesmo que as pichações nas grades sofram a falta de sentido quando trocadas de lugar, propositalmente, para tornarem-se ilegíveis. Cristina Kirchner, segundo nossa guia, é uma aspirante a Evita Perón. E só aspirante, a qual não poupou esforços em inaugurar um mural com o mito, em homenagem aos 59 anos de sua morte. Nunca será!

Nueve de Júlio

Congresso Nacional

Por interesse pré-viagem de minha irmã, e logo mútuo, por nós, pela tarde realizamos o Bike Tour. 100 pesos válidos e indicados. Esse Tour me mostrou muitas coisas, entre elas que eu não sei coisa alguma de espanhol. A mais encantadora foi que Buenos Aires e Bicicletas se entendem bem. Com muitas ciclovias, muita gente sustentável, sinaleiros específicos, Bike Tours, respeito, lugares para aluguel de bicicleta, grátis, para moradores de BA, não restaram dúvidas! Com cerca de 3 horas de duração, terminei cansada, encantada e comendo meu primeiro Alfajor de Dulce de Leche de Buenos Aires.


Ponte La Mujer – Puerto Madero

A última parada da Bike Tour foi o bairro La Boca e seu Color Blocking. Muito Tango, muitos bares e muita cor… Tudo encantador!

Um viva às bicicletas e Buenos Aires, e já adianto: tem muito assunto e muita foto para render bons posts!

Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. Dani Fercondine permalink
    15/04/2012 12:03 PM

    genteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee de bike??? É MUITO PERFEITOOOO!! Que lugar mais lindoooo..

  2. Isabela permalink
    11/04/2012 7:49 AM

    Eu também fiquei no Milhouse!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! :) :) :)

  3. Gabriela Amorim permalink
    28/03/2012 10:34 PM

    A primeira de muitas!

  4. Pedro permalink
    20/03/2012 12:41 PM

    Muito bom o post barbie, gostei muito!
    e sim, BsAs é encantadora.. todos os dias eu me deparo com algo novo e é só um complemento para mais admiração por essa cidade que eu tanto amo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: