Skip to content

Raulzito

17/06/2012

Raul Seixas se fez presente em mim de algumas maneiras distintas nos últimos dias. A primeira delas foi ao matutar muito pensando em algum presente bacana para uma pessoa especial, e uma das coisas que me vieram em mente para conseguir isso, foi buscar nos gostos musicais, literários, de degustação e ficção, algo que pudesse ser especialmente gostoso de se ter, algo que se tornasse único, não sei. Um dos presentes iniciou com a ideia principiante de um disco de vinil de cada banda e cantor favorito, a lá Elvis, Bob Marley e Dylan, The Beatles e Raul Seixas. Iludida que sou, fui até o sebo mais próximo possível, o qual era distante independente disso e é claro que tive decepções. Até parece que algum disco desses míseros cantores iria estar empoeirado em uma prateleira. Mas por sorte, dois CDs originais do Raul Seixas lá estavam, com um dia de espera apenas. Levei os dois, e estou crente de que dentre todas as pequenas coisas colocadas dentro de uma caixa, esses já se tornaram os mais especiais.

Porém Raul ressuscitou em mim novamente, fazendo deste sábado pura nostalgia e saudade. Tribos trouxe o cover Raulzito, e levada pela idolatração dessa mesma pessoa presenteada, fomos até lá conferir mais um maluco beleza. Eu tenho uma estranha preguiça em baixar músicas ou relacionar estas com cantores, e talvez por isso nunca parei para prestar mais atenção nas músicas do Raul Seixas, apesar de terem sido presentes com grande frequência na minha vida toda, desde baby, graças ao Papai. Pois é, meu pai é um violeiro que só, e sempre fez músicas virarem chicletes nos ouvidos das moças da casa. Acredito que grande parte das músicas que eu sei sejam por culpa dele, e em qualquer lugar que as ouço tocar eu cantarolo junto com um gostinho de saudade, seja de um churrasco ou de uma manhã de domingo com o som do violão, viola ou sua voz distante, porém ali pertinho de mim. Assistir ao cover do Raul Seixas, além de me mostrar a paixão do meu namorado e o fato de ele tratar cada música do cara como um hino, me fez à cada música lembrar mais e mais do meu pai, e uma nostalgia gostosa foi me prendendo em entender as mensagens de cada uma, antes nunca tão valorizadas por mim, mas que naquele momento passaram a soar como saudade, um filminho e admiração por Raul e suas letras, mas em especial pelo meu Pai, e saudade, pura saudade de voltar para casa e ouvir aquelas mesmas letras, mas entoadas por ele.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. dorli permalink
    18/06/2012 7:47 AM

    SEM PALAVRAS…..EMOCAO PURA ! OBRIGADA MEU DEUS POR POR ESTAS TUAS CRIATURAS .
    GRANDE BEIJO. dorli

  2. nando permalink
    17/06/2012 9:26 PM

    Artistas são artistas porque deixam um legado que atravessa gerações… Raul sempre vai ser um artista vivo porque nasceu há 10.000 anos e pensava 10.000 anos a nossa frente. Também me considero um artista, não por entoar canções desafinadas na minha viola ou no meu violão, mas sim por fazer parte do milagre de gerar uma jóia como você Bah… saber estar na sua saudade me faz crer que o céu existe de verdade, tamanha a felicidade que toma conta do meu coração! Te amo filha! beijos… Pai!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: