Skip to content

O fim do medo

13/08/2013

Chega um momento na vida que você se olha no espelho, toma coragem e coloca todas as cartas na mesa. Mas é um jogo de você para você mesmo. Seu reflexo ali no espelho. É hora de encarar a realidade, perceber que a vida não é brincadeira e que é agora ou nunca. Em algum momento da vida a gente se liga que o que importa mesmo é a jornada. Talvez a gente saiba disso desde quando somos pequenos, de que é importante aproveitar o hoje como se fosse o último dia e fazer o que se ama na vida. Mas a ficha, aquela real mesmo sabe, ela às vezes bate na nossa nuca tarde demais. Talvez tenha tentado antes algumas vezes, mas você resolveu ignorar, deixar para depois ou acreditar que no fim, tudo ia se encaminhar para o melhor – do tipo uma especialização dá conta. Felizmente às vezes não é tão tarde assim, e acima de tudo, é preciso ter o coração e a mente bem equilibrados para não fazer burrada. É preciso estar ciente de que precisa ouvir não apenas você, seu coração e mente, mas também as pessoas ao seu redor, a fonte de apoio.

Tenho bem claro para mim hoje que o que mais quero na minha vida é ser feliz. O ponto é: o que me faz e vai me fazer feliz? É a jornada sabe, são coisas que acontecem no caminho para meu objetivo de vida, que nesse contexto atual de universidade, decisão de um futuro, cobranças da sociedade ao meu redor, parece ser uma carreira profissional de sucesso. Mas calma. Há alguns dias eu pareço ter saído de mim, ido lá pra cima e agora estou analisando tudo que está rolando aí embaixo. Olhei um pouco para os 2 anos e meio em que minha vida mudou muito ao sair de casa e iniciei a jornada universitária, depois me virei para frente e retornei para agosto de 2013, passei a analisar minha rotina, o que faço com paixão, o que sinto falta lá no fundo, mas por há muito tempo não fazer, quase havia caído em esquecimento não fosse eu ver meu reflexo no espelho, colocado as cartas na mesa e em um baque subido para cima e ver tudo holisticamente, como uma boa administradora deve ver. Minha conclusão foi que o que me faz feliz é fazer as coisas com prazer, com paixão, e por consequência, essas são as coisas que eu faço bem, muito bem. Isso me fez refletir sobre mil e uma coisas, mas em momento algum me causou arrependimento, pois assim como uma amiga que a jornada me trouxe disse, a gente não perde tempo na vida com nada que fazemos, tudo com certeza nos agrega e nos faz aprender muita coisa, inclusive é bom para vermos que talvez este ou aquele não seja o caminho que queremos.

Hoje me sinto satisfeita comigo mesma por me questionar, me permitir mudar de ideia no meio do caminho, refletir, pensar e ter coragem de jogar tudo para o alto, ou de fazer valer a pena independente da escolha. Um sacrifício aqui ou ali são necessários às vezes na vida. Acho que de todos esses pensamentos que estiveram na minha cabeça nos últimos dias, todos os caminhos e possibilidades que tracei, todas as opiniões que ouvi e palavras de apoio para a escolha que for, me fizeram ficar feliz por saber que não irei descansar até estar apaixonada diariamente pela minha jornada. Essa vai ser minha busca diária e incessante. Eu prometo de hoje em diante. E seja lá qual vai ser o lugar onde eu vá chegar, não é no objetivo final de ter uma carreira profissional de sucesso que eu vou pensar, e sim de ser apaixonada. Um perfil 4 que se preze não se daria ao luxo de fazer o contrário, afinal.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: