Skip to content

Ah, saudade…

18/03/2014

Antes de viajar eu imprimi algumas fotos com pessoas muito importantes para mim, que eu tinha certeza da falta que iriam fazer por tanto tempo longe. Mas eu não imaginava que em algum momento a saudade bateria tanto no meu peito, não imaginava mesmo. Pensava que por estar sempre vendo coisas novas, conhecendo pessoas diferentes, estando tipo em outro mundo, eu iria sim sentir falta, mas não seria tão forte assim. Eu me enganei muito em pensar isso. Nesses últimos dias parece que a saudade cismou comigo e ficou me torrando a paciência. Talvez seja por isso que toda hora eu estou indo conversar com eles e mesmo que seja 4 da madrugada no Brasil eu mando “Bom dia” para minha mãe e tagarelo sozinha, até ela acordar. E antes de ontem foi aniversário da minha vó, linda e que amo tanto, tanto, e lembrei que ano passado ela comemorou os 80 anos com uma grande festa e quase toda família estava reunida. E eu estava lá, lendo o texto que escrevi sobre a vida dela, tirando mil fotos dos meus primos fofos e juntinho da minha base. Semana passada o pedacinho de Maringá que veio comigo já foi embora, a Fer, e eu vi fotos dela com algumas das pessoas que sinto tanta saudade, meu EB, e eu senti vontade de estar junto com eles, relembrando nosso ano louco que foi 2013 e fazendo as babaquisses que costumamos fazer juntos. A minha faculdade não parou e agora todo mundo tá no quarto ano, menos eu. E eu não tenho certeza se vou me formar ou não com eles. No momento que eu tranquei minha matrícula, eu não imaginava, mas foi tão estranho. Parece que pausei minha vida lá em Maringá, mas ela continua indo, meus amigos continuam indo no Afonsos, na vendinha e talvez no Chef Burguer. E eu não estou lá com eles. Minha amiga tá tirando carteira de trabalho, a outra provavelmente vá estudar fora no segundo semestre e nem vou poder ver ela, e sabe-se lá o que mais estão fazendo. E eu ando meio por fora, mesmo que eu tente ficar por dentro. De repente meu Pai aparece com um blog e eu nem estive lá pra dar pitacos e fazer ele usar o wordpress e não o blogger. E a saudade bate e uma sensação de que você está perdendo coisas vem assim, de repente, e te deixa pra baixo. Não sei bem como explicar. É a primeira vez que senti isso tão forte e me assustou, porque me fez questionar sobre tudo o que ‘deixei para trás’ para viver isso. E foi aí que eu conversei sobre com quem já viveu o intercâmbio e foi embora, a Ferzinha que me abandonou. Ela já sentiu isso também, e disse que agora de volta sente que não perdeu nada, mas ganhou, e ver tudo o que viveu nesse tempo que ‘deixou para trás’ não tem preço que pague. A única coisa que ela sente um arrependimento às vezes é da ansiedade que sentia em voltar para o Brasil. E sabe, depois desse momento de saudades que passei, eu me dei conta de que é isso mesmo, e sim, aquela sessão das fases do intercâmbio que todo bom intercambista da AIESEC assiste, é verdade. Fazer intercâmbio te faz ter as emoções muito mais fortes, e as vezes você se vê você por si mesmo. Tem o skype, tem os novos amigos e tem as paisagens maravilhosas, mas no fim é você. E você se descobre tão forte e tão diferente do que pensava nesse tempo, em determinadas situações, lidando com a saudade, com o que ‘deixou para trás’. Mas especialmente vivendo tantas coisas inesquecíveis, se descobrindo tanto. É incrível! E o bom de já ter vivido uma experiência, lá na Tunísia, é que eu já pude refletir e tenho a certeza do quanto vale a pena, o quanto estou conseguindo atingir pessoalmente o que eu sonhava nessa viagem. Agora que essa fase da saudade forte e agoniante passou (não que eu não sinta mais saudades, meus amigos) eu vejo o quanto sou sortuda em poder estar vivendo tudo isso. Não deixei nada para trás, mas sim estou vivendo um sonho que tanto sonhei. A vida continua em todo lugar do mundo, e aqui é onde eu devo estar, continuando a minha. E porra!, daqui um mês eu vou iniciar mais uma experiência na Turquia, e sabe-se lá Deus, vulgo myaiesec.net, onde será o último início e enfim, o fim. É, isso tudo tá foda demais!

Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. 18/03/2014 11:57 AM

    Já diria Cazuza, o tempo não pára!
    A vida continua para todos…
    e você não deu um “pause” na sua vida universitária, porque não terá um botão “start” para voltar tudo como era…
    após viver todas essas experiências você nunca mais será a mesma!
    O que conforta a saudade é saber que você voltará uma pessoa bem melhor para todos nós que estamos aqui no Brasil morrendo de saudades! ^.^

    • 19/03/2014 5:46 AM

      Ô minha linda! Você obviamente é uma das pessoas que mais sinto saudades. Mentora eterna, haha.

      Você tem toda razão! :)

  2. 18/03/2014 9:41 AM

    Entendo e compartilho de cada sentimento! Qual o blog do seu paaaaaaaai??????????

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: